Banner Topo


GHOST IN THE SHELL | O que vem por aí?



“Se um feito tecnológico é possível, o homem vai fazê-lo. Quase como se ele está conectado ao centro de nosso ser.”

A cyborg e misteriosa major Motoko Kusanagi falou aquelas fatídicas palavras na animada adaptação para o cinema em 1995 da série de mangá de Masamune Shirow, Ghost in the Shell. É uma obra-prima cyberpunk que aborda questões da humanidade, identidade e a convergência da humanidade e tecnologia em alguns aspectos instigantes. 

Dirigido por Mamoru Oshii, o filme foca imediatamente o espectador a lutar com estas ideias através de uma sequência de abertura infame, em que assistimos um cyborg que está sendo criado pedaço por pedaço. Marcado pela trilha terse de Kenji Kawai, com um coro Geisha de outro mundo, a sequencia de abertura é fascinante e emblemática do dualismo que o filme passa em boa parte do tempo explora.

É uma sequência inebriante em si, e não parece ser algo que seria facilmente adaptável para Live Action. No entanto Rupert Sanders e os cineastas por trás de Ghost in the Shell estrelado por Scarlett Johansson tomaram claramente as palavras do major para o coração, pois tornaram possível a façanha tecnológica de trazer aquela sequencia inicial a vida nas telas da Sétima Arte.

No domingo a Paramount realizou um evento em Tóquio para celebrar sua próxima adaptação do anime onde o diretor Rupert Sanders e estrelas como Scarlett Johansson e Takeshi Kitano, subiram ao palco para dar o público um primeiro olhar sobre Ghost in the Shell. No entanto eles começaram as coisas de uma forma um pouco surpreendente: um primeiro olhar sobre a sequencia de abertura de 1995 acompanhado por uma versão ao vivo do tema de Kenji Kawai e muitos cantores que cantavam a canção do filme original


Uma das preocupações dos fãs com o filme desde que foi anunciado, é se a equipe seria capaz de fazer justiça ao material original, não só a imagem do filme de 1995 e do mangá de 1989 em sua própria maneira, mas as questões filosóficas que a história lida são de extrema importância. Enquanto a última dessas preocupações permanecerá um mistério até 29 de março de 2017, a primeira parece ser algo em que os cineastas estão tratando com o maior respeito, como exibido pelo trailer e os vídeos exibidos na noite de domingo em Tóquio. 

Eu estaria mentindo se não admitisse que arrepios me percorreram a espinha quando o som estrondoso do coro Geisha irrompeu no salão. Embora os efeitos visuais ainda são um trabalho em andamento, a forma como os cineastas lidaram com a sequencia inicial me deu um senso renovado de confiança sobre o filme.

E você, como está sua expectativa?



GHOST IN THE SHELL | O que vem por aí? GHOST IN THE SHELL | O que vem por aí? Reviewed by Akorell on 13:15 Rating: 5